Download Insurance Handbooks
We created these handbooks to help you identify the key points when considering a health insurance policy. They cover a wide range of topics from 'Choosing the right plan', to 'Maternity' and 'Pre-existing' conditions. Please enter your Email address to gain access to our full library.
Download Now  Email Address

  SEGUROS DE SAÚDE NO EGITO



Cuidados de saúde no Egito fora de Cairo e outras cidades grandes comoEgypt Image 1 Alexandria, ou destinos turísticos como Sharm El Sheikh, são relativamente básicos, e quando disponíveis podem ser muito caro. Enquanto as instalações em grandes cidades podem ser adequadas para atendimento mais extensivos, a maioria dos tratamentos de emergência ou instensivo devem ser procurados em Cairo. Também é aconselhável ter uma cobertura de seguro que tenha a evacuação de emergência ou repatriamento, especialmente se o local não tiver instalações disponiveis, ou em caso de visitar ou permanecer em uma parte do país sem acesso médico de qualidade. Destino turísticos como Luxor ou Assuão têm instalações hospitalares inadequadas, e barcos de cruzeiro no Nilo geralmente não têm médico no navio.

O saneamento no Egito é pobre, com apenas 24% da população rural do país com saneamento básico. O país foi classificado como o 16o pior saneamento básico do mundo de acordo com o WaterAid. As taxas de mortalidade infantil no Egito tem caido bastante nos últimos 30 anos. Desde 1970, passou de 157 em cada 1000 nascimentos para 26 em cada 1000 em 2005. Existe um estado no sistema de seguro de saúde do Egito, que inclui 40 hospitais, 600 policlínicas, 3000 institutos de clínicas, e 500 farmácias. Planos de privatização do governo foram botados em espera por uma decisão do Tribunal Administrativo, mas o sistema é mal financiado e há planos para que os cidadãos paguem parte do seu próprio tratamento.

A AIDS tem uma prevalência relativamente baixa no Egito - oficialmente em torno de 0,1% - mas a educação sobre a condição é pobre, mesmo nas escolas de medicina, e não é compreendida pela população. Em 2008, dois homens de um grupo de oito que foram presos no Cairo acusados de libertinagem, foram torturados depois que testaram positivo com HIV.

"Circuncisão feminina" ou mutilação genital, ainda é amplamente praticada no Egito, com uma estimativa de 96% das mulheres casadas no país terem sido submetidos a ela. Estíma-se que 63% das meninas com idade abaixo de 9 no Egito terão esta circuncisão feita na próxima década. É mais comum no interior e menos comum nas cidades, mas as leis contra a prática e movimentos populares devem diminuir a prevalência da prática no futuro.

SOBRE O EGITO

Sempre que viajar para um país novo, é bom obter alguma informação sobre o seu destino, de modo que esteja melhor preparado quando chegar. É por essa razão que fornecemos um esboço geral do Egito para você abaixo.

As informações destinam-se apenas como referência, e todos os dados contidos nesta página podem ser alteradas sem aviso prévio. Para obter mais informações atualizadas sobre o Egito, consulte um especialista em viagem antes de partir.

Nome Oficial: Gumhūriyyat Misr al-'Arabiyyah / República Árabe do Egito

Capital: Cairo, que é também a maior cidade.

Localização: Localizado no norte da África e ligado ao Oriente Médio através da península do Sinai. Passam pelo Egito a fóz do Nilo e também o Canal de Suez, e é contínuo com o mar Mediterrâneo e o mar Vermelho. Israel e a Faixa de Gaza são seus vizinhos do Norte, Sudão ao Sul e Líbia ao Oeste.

Tamanho: 1.001.450 km²

Clima: Verões quentes e secos, invernos moderados.

População: 81.713.520 (Julho 2008 est), tornando o país o mais populoso do mundo árabe e o segundo mais populoso da África. A grande maioria da população vive perto do Nilo, sua delta, ou ao longo do Canal de Suez.

Expectativa de vida ao nascer: 71,85 anos entre os homens e 69,3 anos entre as mulheres (2008 est)
Prevalência de HIV/AIDS: menos de 0,1%, cerca de 12.000 pessoas vivendo com a doença
Doenças graves: diarréia bacteriana, hepatite A e febre tifóide são as doenças mais comum. A vacinação contra febre amarela também é necessária para aqueles que visitaram áreas infectadas. Nadar no Nilo ou seus afluentes, entrar em contato com água parada, ou beber água não tratada pode expor à infecções bacterianas, outras doenças parasitárias, esquistossomose e Bilharzia.
Em 11 de março de 2008, a OMS confirmou quarenta e sete casos humanos de H5NI de gripe aviária no Egito desde março de 2006. Estes casos resultaram em vinte mortes. Evite contato com aves vivas.
Grupos Étnicos: Hamitic oriental (egípcios, beduínos e berberes) 99%. Grego, nubiano, armênio e outros países europeus (principalmente italianos e franceses) % 1.
Idiomas: árabe (oficial), e o Inglês que é amplamente entendido. A alfabetização de adultos é de cerca de 58%

Religião: muçulmanos (maioria sunita) 90%, cristã copta 9% e outros 1%.

Governo: O Egito é uma república, com um presidente eleito para mandatos de seis anos sem limite de mandatos (o presidente Hosni Mubarak tem estado no poder desde 1981), e um sistema de camara dupla, composta por uma assembléia popular e uma organização de conselhos. O governo tem que aprovar a formação de partidos políticos, e a constituição proíbe partidos religiosos, embora o Irmandade Muçulmano extremista, que é teoricamente ilegal, é uma fonte importante de oposição. O Egito teve também uma lei oficial de direito de emergência em vigor desde 1967, com uma pausa em 1980, e sendo reativada após o assasinato de Anwwar Sadat, tendo sido usada desde então. Isto coloca limites sobre as possibilidades de oposição políticas, tanto oficiais como não oficiais.

Chefe de Estado: Presidente Mohammed Hosni Mubarak (desde Outubro de 1981)

Chefe de Governo: Dr. Ahmed Nazif (desde julho de 2004)

Militar: Com cerca de 450,000 soldados, as forças armadas egípcias são as maiores do continente africano e a 11a maior do mundo. Há serviço obrigatório para homens maiores de 18 anos por 12 a 36 meses.

Economia:
O governo introduziu reformas em 2005 para a redução das taxas de impostos de renda e empresariais, reduzindo os subsídios à energia e privatizando várias empresas, resultando em um cresimento do PIB de cerca de 5% ao ano entre 2005-2006, e alcançando 7% de crescimento em 2007. Por outro lado, o padrão de vida para a maioria dos egípcios não aumentou proporcionalmente e o governo ainda gasta uma quantidade grande do orçamento subsidiando alimentos e combustível para a população, pois sem esta ajuda muitas pessoas enfrentariam graves dificuldades. Como resultado, o Egito teve um déficite orçamentário em torno de 7.5% do PIB em 2007.
Recursos, incluindo petróleo e carvão, e em especial, gás natural, são alguns dos bens mais importantes do Egito. A agricultura continua a ser uma grande indústria, mas seu crescimento é afetado pela disponibilidade limitada de terra cultivável; crescimento rápido da população do Egito e os efeitos das alterações climáticas tornam este um dos problemas mais graves que a nação terá de enfrentar no futuro.

PIB: o PPC (paridade de poder de compra) de USD $405,4 bilhões dólares (2007 est), câmbio oficial de USD $127,9 bilhões dólares (2007 est)

    • DICAS DE VIAGEM NO EGITO

      Sabemos que ir ao exterior pode ser confuso. Para ajudar você a entender melhor o Egito, fornecemos alguns conselhos sobre os costumes locais, leis e comportamento em geral. As informações contidas abaixo são apenas para fins de referência e podem ser alteradas sem aviso prévio. Favor consultar um profissional antes de partir para garantir que tenha dados mais atuais. Egypt Image 2
      O Egito é ensolarado durante todo o ano, e é vital tomar precauções contra as queimaduras solares, desidratação e insolação no verão, usando um chapéu, protetor solar e bebendo bastante água. Os Invernos são bastante suaves, embora a maioria das casas serem bem aquecidas e a chuva cair geralmente a noite. Os verões são quentes. Depois de abril, os ventos trazem o 'Khamsin', um vento quente e seco que transporta poeira e areia dos desertos.

      • È melhor não consumir água de torneira no egito. É melhor consumir água mineral ou fervida e filtrada. Frutas e verduras devem ser cuidadosamente lavadas e descascadas.
      • O Egito é um país predominantemente muçulmano e é importante ajustar o seu comportamento em conformidade. As mulheres devem evitar roupas provocantes a fim de minimizar o assédio sexual verbal ou física por homens egípcios, que pode ser um problema, especialmente para as mulheres sem escolta de um homem.
      • Álcool é amplamente disponível, mas pode ser difícil de encontrar durante o Ramadã, e embriagem em público pode levar à prisão.
      • Embora homossexualismo em si não seja ilegal de acordo com a lei do país, alguns atos homossexuais foram condenados no passado por ataque ao pudor. Por outro lado, andar de mão dadas em público, abraçar e beijar no rosto ao cumprimentar os outros é comum entre homens egípcios como uma demonstração de amizade, e não deve ser mal interpretado.
      • Como em muitos outros países muçulmanos, a semana de trabalho no Egito vai de sábado a quarta-feira, com a quinta e sexta sendo final de semana. Ao fazer negócios no país e na marcação de consultas, manutenção e assim por diante é importante lembrar que a pontualidade não é tão importante no Egito como em outros países ocidentais.
      • A taxa de criminalidade no Egito é razoavelmente baixa. O Cairo é conhecido por ter mais polícia per capita no mundo. O tratamento a prisioneiros há uso de tortura, e é amplamente criticado por grupos de direitos humanos do mundo inteiro. Carteiristas e furtos também podem ocorrer. O Egito tem problemas com tráfico de drogas e as penas para crimes com drogas são graves.
      • Filhos de pais egípcios são considerados cidadãos egípcios, que pode ter uma influência sobre disputas de custódia ou de obrigações de serviço nacional.
      • O Egito tem um número significativo de campos minados herdados da segunda guerra mundial. Estima-se que há cerca de 22 milhões de minas e outros engenhos explosivos não detonados no país, concentrados no oeste do deserto ocidental de Alexandria, o Deserto Oriental entre o Cairo e o Canal de Suez, e a península de Sinai. A Localização, mapeamento e limpeza das minas é dificultado pelo terreno inexpressivo e areias movediças, além das inundações também poderem mover as minas para as estradas. Por isso, é importante seguir os conselhos oficias e tomar cuidado ao conduzir em estrada ou fora dela nestas áreas.
      • Há restrições com tirar fotos de instalações militares ou de infra-estrutura estratégica importantes no Egito, incluindo pontes, canais e Canal de Suez. Você também pode encontrar problemas ao tentar fotografar edifícios, tais como embaixadas e edifícios religiosos e não deve fotografar qualquer pessoa do governo uniformizado.
      • O Egito tem uma incidência muito elevada de mortes nas estradas, portanto condução só deve ser realizada após análise cuidadosa. As regras de trânsito são amplamente ignoradas a ponto de motoristas dirigirem em sentido contrário. Carros muitas vezes não usam iluminação adequada a noite, e muitos semáforos não funcionam bem. É comum pedestres e animais cruzarem as ruas, e mini-ônibus (autocarro) e ônibus de turismo também podem ser bastante inseguros.
      • Os ataques terroristas de extremistas islâmicos são uma preocupação no Egito, com uma série de atentados em 2004, 2005 e 2006. Metas incluía locais turísticos na península do Sinai.
      • A fronteira entre o Egito e Gaza é muitas vezes fechadas e abertas somente por curtos períodos de tempo. Peça a sua embaixada conselhos se precisar atravessar a fronteira.
      • Seqüestro é uma preocupação em algumas áreas remotas do país, como o deserto do sudoeste do Sudão perto. Em setembro de 2008, 11 turistas estrangeiros e oito egípcios foram seqüestrados por bandidos nesta área. Eles foram mais tarde libertados por forças egípcias especiais. Viagens para essas áreas permanece perigoso.

Para obter mais informações sobre a viagem para o Egito, os planos de seguro de saúde internacional que possamos fornecer lá, ou para receber um orçamento gratuito, entre em contato conosco hoje.

 

For more information about Egypt, the international health insurance plans that we can offer there, or to receive a free quote, please contact one of our expert advisers today.